Taxa de administração


A taxa de administração de consórcio é um daqueles pontos polêmicos que as pessoas, normalmente, não entendem muito bem para que serve ou como funciona. Por isso, vamos começar do início para explicar para você, direitinho, o que é essa tal taxa.

O que é a taxa de administração?

A taxa de administração é um valor relacionado ao valor total do prêmio do consórcio — estipulado em percentuais — que é pago pelos consorciados à administradora para que a empresa possa gerenciar todos os trâmites necessários para o consórcio acontecer.

Ou seja, ela atua como o pagamento pelo trabalho da administradora em montar o consórcio e cuidar para que tudo saia direitinho.

Como essa taxa é calculada?

Agora que você já entendeu para que serve a taxa de administração de consórcio, precisa saber outras duas coisas: como ela é calculada e, mais importante, como ela afeta a parcela que você, consorciado, paga mensalmente.

Existe alguma confusão em relação aos limites percentuais a que uma taxa de administração poderia chegar. Em 1972, o Decreto de Lei 70.951/72 determinou que esse tipo de taxa de administração não poderia passar de 10% ou 12%, dependendo do valor do bem que seria consorciado.

Porém, quase vinte anos depois, a Lei 8.177/91 mudou isso. Eliminando todas as atribuições relacionadas ao consórcio que estavam sob domínio do Ministério da Fazenda, a Lei transfere essas responsabilidades para o Banco Central (BACEN). Na sua posição de órgão responsável por regularizar e fiscalizar consórcios, o Banco Central declarou, então, que a taxa de administração é determinada pela administradora, sem limites máximos para tal.

Portanto, quem vai decidir o valor da taxa é a administradora — e isso virá determinado no contrato. Em geral, o valor da taxa gira em torno de 14% até 19%, variando de administradora, tipo de bem e grupo. Mais do que isso, já começa a ser um valor caro e não atraente para o consumidor.

E como a taxa de administração afeta a parcela?

Para descobrir como a taxa de administração do consórcio afeta sua parcela, basta usar um cálculo simples para determinar esse valor. Vamos conferir isso com um exemplo.

Imagine que você vai contratar um consórcio para um carro que custa R$ 50 mil. Serão 50 parcelas mensais, sendo que a taxa de administração é de 13%. Como essa taxa afeta o valor final da parcela? Assim:

13% (VALOR TOTAL DA TAXA)* R$ 50.000,00 (VALOR DA CARTA DE CRÉDITO) = R$ 6.500,00.

Ou seja, o consorciado pagará um total de R$ 6.500,00 para a administradora como taxa de administração de consórcio. Esse valor será dividido nas parcelas.

Portanto, temos o seguinte:

R$ 50.000,00 (VALOR DA CARTA DE CRÉDITO) + R$ 6.500,00 (TAXA DE ADMINISTRAÇÃO) = R$ 56.000,00 (VALOR TOTAL A SER PAGO)

R$ 56.000,00 / 50 (PARCELAS) = R$ 1.300,00 (VALOR DA PARCELA)

O contrato da administradora especifica qual a proporção das parcelas será referente ao abatimento da taxa de administração, mas de forma geral, a maior parte da taxa de administração é paga na primeira metade do consórcio.

Lembramos que existem outras taxas que incidem sobra a prestação, como fundo de reservas e seguros, mas elas são bem menores, geralmente ficando em torno de 2%.